O Legado de Ritinha da Bahia

Livro que homenageia Mestra Ritinha, pioneira da capoeira angola na Bahia, será lançado dia 10 de abril! Projeto contemplado no Programa Aldir Blanc Bahia realiza também um seminário sobre perspectivas feministas na capoeira O livro O legado de Ritinha da Bahia: mulheres no jogo da resistência é uma coletânea que reúne textos de mulheres capoeiristas. A obra é […]

Leia mais O Legado de Ritinha da Bahia

Cadê meu berimbau?

Na roda da capoeira angola quem comanda os trabalhos é o berimbau, principalmente o berimbau gunga. Para o gunga funcionar alguém tem que tocar, então quem comanda a roda não é o berimbau, é quem está no berimbau. Quem está com o berimbau na mão, tem a autoridade da coordenação daquele espaço. Com certeza tem que ter habilidades para estar naquele lugar, que vão além do cantar e tocar, tem que ter sensibilidade de perceber o jogo, observar o entorno, ter visão periférica. É um lugar majoritariamente ocupado por homens. Será que a mulher não tem esta capacidade?

Leia mais Cadê meu berimbau?

Debates atuais sobre Ancestralidade e Tradição

Pessoalmente o problemático vídeo do Mestre Ferradura ecoou em mim, enquanto mulher e professora de Capoeira, em diversos pontos que atravessam a Capoeira. Sim, ele acabou ultrapassando o limite do aceitável ao tratar de um tema delicado de forma irônica e sarcástica, faltou respeito, tocou em temas sensíveis, sobretudo em meio aos tempos turbulentos que estamos vivenciando hoje.  Mas acredito ser […]

Leia mais Debates atuais sobre Ancestralidade e Tradição