Destaque

Na onda do berimbau: entre o funk proibidão e a capoeira patriarcal Recentemente a “comunidade” da capoeira foi surpreendida por um clipe musical que relacionava a capoeira ao funk. Como? Com uma letra indicando que mulheres “novinhas” iam sentar-se no pau do berimbau, metaforicamente, associado ao pênis do traficante que depois ia fuzilá-las. Essa letra […]

Leia mais
Destaque

CARTA EM APOIO ÀS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL NA CAPOEIRA

A violência sexual contra mulheres, crianças e adolescentes está imbricada em uma sociedade que compactua com tais práticas em diferentes ambientes e espaços sociais. Essa é uma luta travada diariamente por coletivos e grupos socialmente organizados para impedir que aconteça esse tipo de violência ou crime e para denunciar quem a comete.  Infelizmente em espaços […]

Leia mais CARTA EM APOIO ÀS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL NA CAPOEIRA

Cadê meu berimbau?

Na roda da capoeira angola quem comanda os trabalhos é o berimbau, principalmente o berimbau gunga. Para o gunga funcionar alguém tem que tocar, então quem comanda a roda não é o berimbau, é quem está no berimbau. Quem está com o berimbau na mão, tem a autoridade da coordenação daquele espaço. Com certeza tem que ter habilidades para estar naquele lugar, que vão além do cantar e tocar, tem que ter sensibilidade de perceber o jogo, observar o entorno, ter visão periférica. É um lugar majoritariamente ocupado por homens. Será que a mulher não tem esta capacidade?

Leia mais Cadê meu berimbau?

Debates atuais sobre Ancestralidade e Tradição

Pessoalmente o problemático vídeo do Mestre Ferradura ecoou em mim, enquanto mulher e professora de Capoeira, em diversos pontos que atravessam a Capoeira. Sim, ele acabou ultrapassando o limite do aceitável ao tratar de um tema delicado de forma irônica e sarcástica, faltou respeito, tocou em temas sensíveis, sobretudo em meio aos tempos turbulentos que estamos vivenciando hoje.  Mas acredito ser […]

Leia mais Debates atuais sobre Ancestralidade e Tradição

Rejection Letter

We, capoeirista women (black, white, cis, LGBTTI +, etc.), educators, artists, and activists from different groups and collectives of capoeira angola and beyond, declare our repudiation of any act of gender violence and / or sexual abuse committed in the context of capoeira, especially when it involves someone in a leadership relationship (Mestre, Contramestre, Professor, […]

Leia mais Rejection Letter